18 de abril de 2024

70 thoughts on “A vergonha de um homem

  1. Pior do que mentir pros outros é mentir pra si mesmo eu jamais casaria com alguem que não sabe quem eu sou começar um relacionamento com mentiras é o primeiro passo para o fracasso a verdade é sempre o melhor caminho doa a quem doer

  2. Sou casado, 42 anos, anos atrás já me relacionei com pessoas do mesmo.sexo que eu.Ultimamente vem um desejo enorme de encontrar alguem. Pensando seriamente em me envolver com alguém, e viver a minha bissexualidade.

  3. tambem vivo da mesma maneira, desde criança, não se por uma vez ter sido abusado quando criança, mas hoje viro uma farsa como hetero o estressadinho hetero, mas que na realidade por mais que tenha uma namorada linda , que demonstra seu amor todos os dias pra mim, tenho desejo em outro do mesmo sexo, ja achei ser problema em falta de Deus, ja pedi a Deus pra tirar esses desejos de mim, porem isso não muda e acho que nunca irá mudar. posso sim tomar uma decisão, dizer pra mim mesmo que isso é errado que não devo fazer isso, que tenho alguem a respeitar, que todos que me amam se descobrirem disso não iriam me apoia, mas é um desejo muito forte, que sempre tiro um dia em duas e duas semanas pra poder curti boate, aonde ninguem vai me criticar por eu estar dançando de tal forma, e nem curtindo outro homem. infelizmente, não é uma coisa que digo feliz sou bi, pois se fosse uma escolha, prefiriria não ser!!

    #uma importante parte da minha vida

    1. Anderson, tudo bem?
      Entendo a sua aflição e sei o quanto é difícil muitas vezes. Acredito que você não gostaria de ser bissexual por conta da sociedade. Se essa questão já fosse considerada natural, você estaria feliz e confortável em poder experimentar ambos os lados.
      O problema apenas é fazer isso escondido da sua parceira. Imagino que seria inviável contar pra ela. Mas você já refletiu porque frequentemente você precisa fazer essa fuga? Será que você está verdadeiramente feliz? Ou realmente você ama a sua namorada e é apenas uma sensação que você gosta de sentir de vez em quando?
      Até mais!
      Abraços.

      1. Sua história é bem parecida com a minha, tenho 50 anos, fui abusado dos 9 aos 15. Prestei serviço militar, sempre tive atração pelo sexo masculino, me reprimi e me reprimi até hoje. As vezes dou uma saída, mas me culpo muito depois. Hoje me considero bissexual, com minha esposa tenho atração, amo estar com ela, mas no sexo sempre falta algo. Não sinto vontade de me envolver emocionalmente com outro homem, jamais me apaixonaria por um. Mas o sexo gay me completa, me realiza. Também não consigo ser ativo com outro homem. Minhas fugas é sempre como passivo.

  4. Um problema intencional ou não deste post, é que ele está num site sobre bissexualidade e não esclarece o caráter de sua defesa. Por isso é preciso ser dito: pessoa que se identifica como homem hétero cisgênero, que se relaciona apenas com mulheres, CONTINUA sendo HETERO inclusive se relacionando com mulheres trans*.

    Isso porque o gênero feminino não é definido pela genitália, mas por um conjunto de operações simbólicas sobre a pessoa: a forma com que arruma o cabelo, o tamanho das unhas, as roupas que veste, a forma de andar, o uso de maquilagem, etc etc.

    Infelizmente, este post dá entender que o fato do rapaz se relacionar com travestis o tornaria bissexual, como se a relação com as mulheres trans fosse, na verdade, uma relação com outro homem. Isso não é verdade. Como definiu muito bem Judith Butler, o gênero é, acima de tudo, performático.

    1. Pedro, tudo bem?
      Em nenhum momento cito que ele é bissexual. Mas se ele se considerar, daí já é outra história. 🙂
      Sobre as brincadeiras com gays, ele diz fazer, mas não gosta. Contudo, ele não gosta pelo fato de se considerar bi ou gay e sim porque acha que o mundo deve ser livre, para que todos possam sentir e fazer o que quiserem.

      Obrigada pela contribuição, Pedro. Se quiser contar também a sua história, fique à vontade.

      1. Há uma linha de pensamento, chamada pelos Terapeutas de “Homofobia Internalizada”, ou seja: em Não haver problema em ser penetrado até porque o cisgenero que fosse te penetrar teria ereção por ti: o chamado feronomio que há entre gêneros iguais, também! Similar o clima que acontece com um caixa de supermercado que frequento e mesmo sendo de gerações diferentes, quando ontem desejei boa semana ele disse “pra ti, também”! Outros no meu lugar, poderiam ficar “melindrados” pela aproximação no tratamento dado por homens de outra geração! Mas faz parte do conviver, afinal ainda bem que a vida Não é uma redoma!

  5. Porque ele sofre? Qual é o problema? Por isso que pra mim a questão aí é com relação a noiva dele mas, será que ele só sofre por se tratar de travestis? E com isso ele ser um transfóbico velado? Porquê parece que não. Tô meio confuso, se alguém quiser esclarecer algo.

  6. entendo perfeitamente o dilema dele,experiencia própria,se ele seguir nesse caminho esta fadado a ter uma vida triste e frustrada com traições,os dois serão infelizes,o melhor seria contar a verdade,antes do casamento e ver o que acontece,sei que não é facil,se fosse,eu e muitos outros teriam dito rsrs .abraço

  7. entendo perfeitamente o dilema dele,experiencia própria,se ele seguir nesse caminho esta fadado a ter uma vida triste e frustrada com traições,os dois serão infelizes,o melhor seria contar a verdade,antes do casamento e ver o que acontece,sei que não é facil,se fosse,eu e muitos outros teriam falado,antes de seguir em frente .abraço

  8. Acho que eu tive sorte de certa com relação a isso. Na época em que contei a minha então namorada sobre o meu interesse por trans, ela entendeu de boa, não teve ciúmes. Ela disse que era adulta o suficiente pra entender tudo, porque ela já teve uma pequena experiência homo quando adolescente mas hoje, ela sabe que é heterossexual.
    Depois que a relação acabou, tinha uma amiga que gostava de mim, e eu disse isso pra ela, e o único medo dela era que eu quisesse APENAS transexuais kkkkk. Bem, se eu for analisar o perfil das duas, posso dizer que ambas, apesar de serem hétero, pouco ou muito, tiveram as “escapadas” homo, então, não querendo generalizar mas, parece que esposas, ou maridos (se bem que eu acho que as mulheres são mais flexíveis), que já tiveram contato sexual com pessoas do mesmo sexo, ou que realmente são bissexuais, tendem, claro e evidente, a terem tolerância com o cônjuge bissex, então, eu espero que seja seu caso Alberto, se você realmente ama a sua esposa e quer ficar com ela. Espero também que, se você falou, que ela tenha compreendido que você a ama.

    Abraços

  9. Ultimamente não ando tendo sorte no lado homo. Conheci uma trans numa sala de bate papo e add no whats. Tive que respirar fundo e ter muita coragem pra conversar com ela, ela tem um rosto lindo só o corpo que ainda tá um pouco masculino. O problema é que eu tava morrendo de medo de ela, sei lá, ficar com raiva e espalhar que pego travestis. Se chegasse no ouvido dos meus pais seria uma droga! Enfim, a pior parte aconteceu: ela pediu minha foto e eu não quis mandar, aí parece que deu o desânimo nela e ela nunca mais falou comigo.
    Muitas vezes na rua, em festas, vejo muitas transexuais, mas fico impedido de ir por causa de amigos que vão comigo, aí sou obrigado a ficar quieto. Não tenho essa coragem de assumir que também gosto de transex, aí a vida bi fica em stand by por um período, e assim vou levando.

  10. Bem, eu me considero Bi.
    Parecido com o #Anderson dos comentários anteriores eu tenho relações com outros caras desde bem pequeno. Não sei se seria certo afirmar “eu fui abusado”, mas eu tenho como uma das primeiras lembranças uma garoto que deve ser uns 3 ou 4 anos mais velho que eu, filho de um amigo do meu pai, e eu brincando um com o pênis do outro.
    Resumindo, desde criança eu tenho esse tipo de relações com outros garotos, as vezes eu que propunha, outras vezes eles… Sempre soube que ninguém podia saber, mas nunca achei errado.
    Entretanto, também desde criança nunca tive sentimentos por outros garotos, mas sempre me derretia em paixonites pelas meninas.
    Com 11/12 anos eu de fato quase fui forçado a fazer algo que não queria e parei com essas coisas. Continuei com os desejos mas parei. Na adolescência fiquei com algumas meninas, nada sério (sou super tímido e lerdo quando se trata de mulheres).
    Aos 18 anos voltei a ter relações com homens, coisas bem discretas e com grande intervalo de tempo. Hoje me considero Bi e percebi que esse desejo não vai sair de mim.
    Me identifiquei com o texto especialmente na parte: ” Sempre que o frisson termina, ele rapidamente se veste, paga e sai enojado dele mesmo.”
    Ultimamente tenho tido muitos “problemas” por isso, coisas na minha mente, me arrependo, mas gosto e o desejo volta no dia seguinte. Ninguém sabe da minha sexualidade. Eu já estudei um pouco de psicologia e sociologia na faculdade. Então meio que sei onde está a raiz da minha “paranoia”.
    Eu ainda não transei com nenhuma mulher então meio que fico na coisa de “sou bi ou gay?”.
    Não me considero gay, e sinceramente não tenho atração por eles, e hj em dia meu interesse por mulheres é bem menor que na adolescência, mas ainda existe. Também não tenho interesse em me abrir para o mundo, eu não ganharia nada com isso. Alguém já passou por algo do tipo que possa me dizer alguma coisa?

    1. Cara, pq não se relacionou com mulher?
      Não sei quantos anos vc tem, eu transei a 1° vez com 18 anos….Mas cara, vá para o ataque, perca essa virgindade e experimente as mulheres também pow…… Sei que não é fácil, mas não tema brother.

      Comentário editado por BlogSouBi por conter palavras de cunho sexual

      1. Cara, eu cheguei a ficar com alumas garotas na adolescência, acontece que eu sou tímido e sou SUPER tímido com as garotas… Mas estou tentando perder essa timidez, é complicado pq é algo muito enraizado. E eu quero sim “experimentar mulheres” só não rolou ainda. Mas vlw pelas dicas.

        1. Tanto com homem, quanto mulheres, eu só chego se me derem bola. Nas baladas que fui, pra ficar com mulheres, foi assim, e com homens também. Eu fico quieto, aí saco alguém que curti. Eu fico perto olhando e só vou atrás de a pessoa sorrir pra mim. Não dou chance de levar fora, preciso ter certeza, foi assim quando fiquei afim de um carinha numa balada.

    2. As experiências durante a infância são bem comuns por aqui, minha história tbm é bem parecida, porém já acho natural me relacionar com os dois, só q não revelo pra ninguém, é claro, espero um dia encontrar a pessoa certa seja ela H ou M e espero ter desejo somente nela, e ser honesto com ela, se fosse M, seria o máximo, mas se for H também será! 🙂

  11. Allan, me identifico muito com tua história. Também passei por algo na minha infância, na adolescência namorei, transei e tals com M.
    Há alguns 4 anos tive algumas relações com H, mas sempre me saia arrependido. Porém sei que minha atração é física e não envolve amor, sentimentos.
    Por isso me considero BI, porém ainda neste ano me envolvi com uma M e quando fui pra cama com ela, fiquei super tenso, minha mente entrou em conflito e não consegui o desempenho que queria.
    Porém, quero me casar com M e ter filhos, não quero viver com um H para o resto da vida, como disse é apenas atração física mesmo.
    Mas sempre entro em paranóias mentais, não é algo fácil de administrar mas acredito que podemos sim ser BI porém casar , relacionar com M, filhos. E o mundo não precisa saber sobre o que você pensa sexualmente.

    1. Concordo totalmente. Me considero Bi pq não me vejo em relacionamento com homem, apenas com mulher. Meu medo, porém, é … sei lá, chegar na hora e broxar por mais afim dela que eu esteja. Isso é algo que meio que me trava com as mulheres, tenho medo de entrar numa relação, me apaixonar pela garota, mas sexualmente isso não rolar. As vezes me parece que minha mente se dividiu: sexo com homens, afeto com mulheres… Esse é meu maior medo, pq tbm quero casar e ter meus filhos, constituir família e tal… acho que é por isso que eu me “auto-castro” como li por ai, sempre que percebo uma garota “me dando mole” eu meio que refuto a ideia como se eu estivesse me sentindo demais, que eu não tenho nada interessante pra ela, q há melhores por aí… Hahahahaha quanto mais eu escrevo mais acho que preciso de terapia.

      1. O que eu acho que me é problemático é que por mais que eu tente deixar essas questões de lado, isso acaba me fechando socialmente. Eu não tenho jeito de “machão” que gosta de futebol e fala de mulheres como se fosse um objeto e nem olho para todas elas como uma possível relação sexual, eu separo bem amizade de interesse sexual. Eu tenho mais jeito do esquisito que gosta de vídeo-game e desenhos. Confesso q as vezes pareço ter um “ar mais delicado” mas nada feminino como alguns homo tentam parecer, simplesmente é meu jeito desde criança. E por causa desse jeito eu sempre acho que se eu tentar ser amigo de algum cara ele vai me ignorar por achar que eu sou gay.
        Quanto as garotas… bem, por tudo que eu já vivi e por minha criação eu sou MUITO liberal. Então eu faço amizade super rápido com garotas, acho que minha abordagem neutra, sem pensar em ter relações com ela só por falar oi, facilita isso. O mal é que rapidamente elas se soltam comigo, me taca na friendzone e parecem esquecer que sou homem… O phoda é quando me interesso por alguma delas e o máximo que elas podem imaginar de mim é como o padrinho de casamento dela… Tá difícil pro meu lado.

        1. Caro #ALLAN, entendo você perfeitamente e pior leio os teus posts até parece que foi eu mesmo que escrevi rs…. Bom cara, apesar de me aceitar eu às vezes também acho que preciso de alguma terapia. Pois minha mente é como a tua, Sexo com H e afeto amor com M, e essa separação é boa por um lado e ruim por outro, pois há uns 3 meses fui ter uma relação sexual com uma menina e a coisa não fluiu legal. OBS: Eu estava sendo incomodado em casa, acho q isso atrapalhou, sim, broxei 🙁

          Mas vou lhe disser a verdade cara, eu queria apenas ter nascido normal, digo gostar somente de M. Psicológicamente não é fácil fazer separação entre H e M, sou um cara legal, bonito, converso sobre mulheres com amigos, aparentemente 100% Hétero. Mas vivo em altos e baixos, alegrias e depressões, sei lá…. #ToEstável#ToConfuso#TocomH#TocomM #TocomNada

          1. Olha, ainda não saí muito com travestis, transex e nem com homens, então, esse tipo de confusão, dúvida nunca, ou ainda, não paira sobre a minha cabeça. Ao menos hoje eu sei que posso pegar mulheres sem problema algum, e assim como vocês disseram, o que atrapalha a performance não é o fato de curtir homem mas, as confusões, estress, etc. Acredito que, assim como muitas vezes a bissexualidade não é motivo de separação de casais hétero, acredito que ela também não é motivo de brochada com mulher.
            Eu já broxei transando com minha ex. Não conseguia e eu achava que era porque eu era gay, só depois descobrimos que foi porque eu me masturbava muito antes de transar com ela, além de sempre dormir muito tarde e acordar cedo, ficando cansado e imprestável pra transar, portanto, vai ver o problema de vocês não tem a ver com a bissexualidade.

  12. Eu fui abusado por uma mulher quando pequeno, e eu gostava. Quando fiquei mais velho um pouco, eu fazia umas coisas com uma menina, até que já perto da adolescência, eu fiz com um menino. A partir daí qualquer coisa, foi só com meninas. Minha primeira vez foi com uma menina, aí namorei uma moça aos 19 anos e depois namorei uma mulher aos 22. Essa última foi com quem eu tive mais relações sexuais, foi uma relação séria que durou 3 anos, e sempre me senti muito satisfeito nesse lado da relação. Foi durante essa última relação que eu comecei a ter essas sensações homossexuais e contei a ela, que reagiu muito bem. Na verdade, acho que ela até gostou.
    Mas sei como é estar em conflito assim, também fiquei muito antes de contar pra minha ex mas, agora, me sinto resolvido e tranquilo com isso.
    Acho que daqui há algum tempo, depois que vocês conversarem com muitas pessoas que fogem da heteronormatividade e pesquisarem e estudarem sobre o que acontece com vocês, vocês ficaram mais tranquilos, porquê acima, de tudo, de vez em quando tenho umas pequenas dúvidas que não duram muito, enfim.

    Abraços

    1. Corajoso você Danilo, por contar para a sua companheira toda a situação. Bom eu vivo em constante conflito, porém entendo que sou atraído apenas sexualmente por H, já com M penso em relações duradouras. Pelo menos isso já fica claro na minha cabeça, apesar de toda tempestade que fica em mente.

      1. Fala aí, Rafael! Tenho tido pouco tempo pra entrar no blog, por isso a demora.
        Sim, eu realmente acho que precisaria de alguma ajuda de profissional pra por as ideias no lugar. Eu não vejo a bissexualidade como problema, mas ainda não sei lidar bem com isso.
        O que acontece comigo é mais estranho pq assim – vou precisar falar de coisas mais íntimas para explicar – quando eu fico um tempo sem me masturbar e fico meio na seca eu sempre acho um cara pra alguma coisa, sem penetração; entretanto depois que eu chego ao clímax eu meio que penso “Tá, agora vou pra casa, cansei.”; e fico alguns dias sem pensar nisso. Sempre “fiz sucesso” com os caras, na verdade sou facilmente assediado por eles. Não sei o que veem em mim, não me considero lindo, mas também não sou feio, não sou forte, e apesar de ter os olhos claros isso não seria suficiente pra gerar um sexy appeal tão grande (e nem msm meus “países baixos” são… como dizer… marcantes) .
        Quando vou nas baladas fico até incomodado pq não posso olhar muito para as pessoas pq tenho medo de achar que to dando mole, e fico sempre olhando pro chão, sempre que olho para a cara de algum cara ocasionalmente, recebo um olhar “te quero” e logo desvio para o chão pra evitar que cheguem em mim. O que acontece é que msm na balada quando os caras chegam em mim eu não tenho interesse nenhum em ficar com eles, simplesmente não rola química, não sei se é pq estou c meus amigos ou se tem outra razão.
        Já com as garotas na balada eu fico interessado, tenho vontade de chegar nelas, só não sei como :'( Chego em casa me lamentando de não ter tentado… Eu tenho até algumas redes sociais tipo o Tinder, dá um match com as garotas, mas não sei nem por onde começar. Assim, eu fico excitado com as garotas (não tão facilmente quanto com homens, confesso), já fiquei ereto beijando as garotas, já me masturbei pensando nelas, já fantasiei bastante sobre, mas minha paranoia é broxar, sei lá. Acho que esse é meu maior medo de ter relações de fato com homens, pq sempre são coisas apenas “preliminares” fujo de qualquer coisa “mais profunda”. Pq já que, com exceção de beijos na boca, todo o resto eu iniciei com homens, eu quero deixar os “finalmentes” com mulher pq não quero me enviesar de nenhuma forma e não passar por uma situação embaraçosa.
        Eu já não sei pq to escrevendo tudo isso hahahaha Mas assim, eu queria lidar melhor com essa situação. Recentemente, na verdade minutos atrás, descobri um certa diferença entre bissexual – desejo sexual pelos dois sexos; e bi afetivo – que seria sentir “amor” pelos dois sexos. Uma certeza eu tenho, não sou bi afetivo – ou pelo menos nunca me imaginei namorando um cara nem nada assim, apenas com mulher. Mas também não sei se sou bissexual estritamente pq ainda não fiz sexo com mulher.
        Então também não sou, gay pois acredito que um gay tem afeto e desejo sexual apenas por pessoas do mesmo sexo…
        Enfim, sou meio louco e é isso aí Hahahahaha Qualquer coisa pode ir comentando aqui a baixo que sempre vou entrar nesse tópico, tamo junto pra trocar nossas nóias e de qualquer outra pessoa que tenha paciência de ler esses tópicos gigantes.

        1. Allan, vou falar em pontos:

          1 – Os rapazes devem olhar pra você por um motivo: VOCÊ SE CUIDA. Você deve ser um rapaz que se veste bem, deve se perfumar bem, à caráter da balada. Você deve ser educado, bem-humorado, e trata as pessoas bem, ponto, além do mais, a gente sabe que pra atrair os boys é “muito fácil”, né? Um monte de boy já deu em cima de mim e sei como é isso. Continuando, você deve ter uma beleza natural sua (você disse que tem olhos claros, o padrão europeu/caucasiano é muito admirado por essas bandas, cá pra nós), que é potencializada por você se cuidar bem, então daí vem a atração, provavelmente porque você é uma pessoa visivelmente saudável;

          2 – Com relação a garotas, sofro do mesmo mal. Pesquisei esses dias sobre CALIGENOFOBIA, acho que é esse o nome, que é a fobia de mulheres bonitas (se esse não for o seu caso, pode passar batido), ou seja, você as acha gatas demais pra você, pro seu caminhãozinho. É como se você não acreditasse que aquela gata pudesse te querer mesmo ela demonstrando isso, fruto da baixa auto-estima meeeeesmo! E isso faz com que você não perceba as outras possibilidades, de que de repente muitas meninas gatas te percebam mas você não interpreta como se fosse interesse. Pode ser que essas meninas gatas te achem lindo de morrer mas, tem medo de chegar em você por acharem que levarão um fora. Pode ser que elas nem sequer se achem tão bonitas assim, ou nem sequer se achem bonitas, cogitando a possibilidade de nem acreditarem se algum dia você reparar em alguma delas, então a coisa é mais profunda do que a gente pensa;

          3 – Com relação a penetrar homens, bem, esse é um mal que não sofro. Não me importaria em penetrar um cara e nem que me penetrassem, fazer ou receber oral, acho que sexo é sexo e pronto. Não entendi essa parte: “pq não quero me enviesar de nenhuma forma e não passar por uma situação embaraçosa.”. Aparentemente parece que você ainda não transou com mulheres, então meu amigo, SE ACALME, consiga uma mulher, transe com ela e depois tire suas conclusões. Namorei uma mulher por três anos e o parceiro lá de baixo ficava duro de boa. Tire os fantasmas da sua cabeça, não fantasie sobre coisas ruins, não se preocupe até você ir aos finalmentes com uma mulher.

          4 – BIAFETIVIDADE comporta as duas relações, afetiva e sexual, portanto o termo BISSEXUAL caiu em desuso, o correto é BIAFETIVO, por mais que você só transe com homens;

          Pra finalizar, após ler esse texto e os comentários, hoje chego a conclusão de que posso ser tudo isso, hétero, gay, bi ou não ser nenhum desses. Chego a conclusão de que gosto de sexo e de carinho com pessoas bonitas e interessantes e que minha sexualidade é minha e que de nada servem esses rótulos, porque por mais que eu assuma algum, eu sempre vou acabar agindo de forma oposta a definição deles, que o que importa é a minha postura diante das pessoas que estão ao meu redor, não importa quem elas sejam. Essa foi a conclusão a qual cheguei com esse texto, deixa ele pra você ler e tirar as suas próprias.

          É isso aí, abraços,

          1. Olá, Danilo, antes de tudo obrigado por estar dando atenção às minhas loucuras. Realmente só tenho o blog para falar disso, em outros lugares se chego tentando conversar ou acham que estou me oferecendo ou tentam me “provar” de que sou gay e estou fugindo do assunto.
            Bem, tbm irei por pontos:

            1- Sim, eu sou meio vaidoso e preocupado com minha aparência. Eu tento ser o mais educado e simpático possível, seja quem for, até que me de motivo para agir de outra forma. E sim, tbm acho 1000 vezes mais fácil arrumar um cara que uma garota. E nem é fácil por apontar pra todos os lados não. Eu sou meio chato com aparência, já que eu tento me cuidar (obs: eu não vou à academia nem nada), então… assim, minhas amigas poderiam ficar com inveja de alguns caras com quem eu já tive algumas coisas.

            2- Direto e reto: Eu sofro de CALIGENOFOBIA.

            3-A parte do “pq não quero me enviesar de nenhuma forma e não passar por uma situação embaraçosa.” É que eu não quero ter nada com um homem, e depois quando tiver com uma mulher comparar. Eu quero uma mulher primeiro, depois que eu já tiver certa fluidez com as mulheres eu poderei avançar para algo mais “profundo” sexualmente falando com homens pq vou estar mais seguro psicologicamente.

            4-Entendi o que quis dizer.

        2. Véi, sinceramente, me dá até ódio dessa gente. Parece que não lêem exatamente o que a gente escreve, puro senso comum, massa zé povinho, gente com a qual não devemos perder tempo! Entendem como querem entender, querem empurrar o que acham goela abaixo pra gente, e se você for analisar é puro machismo, porquê eles pensam assim, se a gente fala que é bi, dizem que somos gays, logo, damos a bunda, e quem dá a bunda pra heteronormativos e homofóbicos? Mulher! Logo, se é mulher é inferior = MACHISMO.

          Enfim, vamos a o que interessa:

          1 – Então, exatamente o que eu falei, pessoas que se cuidam, aparentam ser saudáveis, sejam mulheres ou homens, gostam disso, somado ao fato de você, provavelmente, já estar “padronizado” desde nascência;

          2 – Então, o correto é CALIGENEFOBIA, errei como se escreve. Pra você ver como é intrigante, veja você mesmo. Pela forma como você fala, parece ser um rapaz muito bonito, imagina como você se sentiria, se algum rapaz ou moça dissesse pra você que nunca tentou nada com você por acharem você ser bonito demais pra eles, como você se sentiria? Provavelmente você diria que não poderia fazer nada, que acha estranho isso. Iria dizer que ela ou ele, não precisavam pensar ou agir dessa maneira. Ia dizer que você é um terráqueo, que está na terra, no chão, Que você acha tudo normal, que não faz diferença você e eles…isso é o que as meninas que temos “medo”, pensariam.
          Vou abrir meu coração pra você cara. A pior coisa, a pior coisa MEEEESMO, é aquela gata que você tem CERTEZA que tá de olho em você mas você não cai dentro por ter medo…Não sei se você passou por isso, senão, espero que não passe e se acontecer, que você não trema na base. Hoje em dia eu penso em pegar uma balada top onde só dá a nata das gatas, lindas mesmo, grande maioria riquinha, padrão de mercado capitalista: loira, bundão, peitão da cintura fina do olho azul ou verde, só pra treinar, comprovar que posso pegar uma mulher dessas pra elevar mais a minha auto-estima. Se algum dia eu já peguei gatas top, foi porquê eu tava bêbado, meu amigo, mas assim não vale, e senão me engano, foram só duas. Eu passei por situações tão ridículas, que dá até vergonha de falar!! Enfim, espero que a gente consiga;

          3 – Sendo sincero, brother, acho estranho esse seu pensamento, porque eu penso da seguinte forma: se você é bi, não importa a primeira vez com homem ou mulher, você vai sentir prazer com os dois e mesmo que você sinta prazer com os dois, não tem como, você vai comparar. Porquê você tem que estar seguro psicologicamente? Qual é o seu medo?

          Abraços

          1. Assim cara, quanto ao 2, eu não me acho bonito, mas tbm não me acho feio. Podemos dizer que eu me considero um pouco acima da média. Nada marcante, nem positivamente nem negativamente.

            Quanto ao 3 é mais complicado.
            O problema é que eu sinto muito tesão em homem, mas pouco em mulher. Para eu me excitar com mulher só de pensar eu tenho que ficar um tempo na seca. E tbm, quando excitado com mulher é algo mais fácil para eu broxar, preciso me manter mais concentrado.
            Não sei se jé é informação demais, entretanto quando eu me mast*** pensando em homem, eu chego ao clímax muito rápido. Já pensando em mulher eu consigo me controlar, o que dura um tempo normal.
            Eu já fiquei excitado beijando as garotas, ou então dando uns amassos, mas como tem bastante tempo q não tenho nada com garotas acho que meu maior medo é: Gostar da garota, ficarmos, chegarmos ao nível sexual da relação, mas não rolar, eu broxar. Ou eu começar, mas no meio do caminho broxar… Se isso acontecer eu vou precisar de mais uma temporada de auto-reflexão pra não cair na depre.

            Então acho que é daí que vem essa coisa de não querer ter relações com homens antes de com mulheres… não sei se tem uma linha de raciocínio lógica nisso, mas é pelo menos a escolha que eu fiz.

        3. Cara, brochar pode acontecer. Na primeira vez que transei com mulher, meu pênis não subia, ainda se eu tava usando camisinha, pois as normais, inibem a sensibilidade da glande do pênis, aí seu pênis não fica ereto realmente. Como era relação séria, monogâmica, passamos a fazer sexo sem camisinha, aí quando eu estava descansado, sem ter tido insônia e sem ter me masturbado, o menino ficava duro que era uma beleza, então, é muito relativo esse lance de pênis endurecer pra mulheres, se isso acontecer com você, lembre dessas coisas que eu falei. Qualquer coisa, compra uma camisinha sensitive que ela é boa pra essas ocasiões. Realmente na primeira vez, o carinha fica nervoso, porque quer fazer um bom trabalho na hora, quer impressionar a garota, quer fazer ela gozar, cria uma puta expectativa, e na hora o bicho não sobe mesmo, então, relaxe, não se preocupe, esquece esse papo de brochar, porque aí sim tu vai ter um desempenho ruim.

          Quanto a sentir tesão mais em homem, pode ser que você sinta mais tesão em homens do que em mulheres, não sei como te responder a isso mas. De repente existe um padrão masculino que te atrai.

          Vou dar uma pesquisada nisso pra ter mais respostas
          Abraços

          1. Obrigado novamente, Danilo.

            Bem, eu já li uma coisa ou outra sobre sociologia e psicologia, a explicação que eu cheguei by myself a respeito de ter mais tesão em homem é pq eu meio que fui condicionado a isso.
            Explico.
            Assim, por ter “relações” com homens desde criança eu fui condicionado a gostar disso, me excito mais com homens, acredito eu, devido ao fato de eu já saber o prazer que aquele tipo de coisa vai me proporcionar. Imaginemos uma fruta, se você sempre comeu maçã e gostou, vc sabe qual sensação de satisfação a maçã vai lhe dar quando você comer mais uma vez. Agora, se te oferecerem pera (você já viu uma pera, conhece a pera, mas nunca de fato comeu uma pera) você pode ficar receoso por não saber se aquilo vai ser agradável ou não ao seu paladar então é compreensível que vc não consiga se sentir motivado a comer era uma vez que a recompensa é incerta. Vc sabe que a pera é uma fruta e vai matar sua fome assim como a maçã, mas a experiencia de saborear a pera vai ser algo novo e talvez isso cause desconforto e incerteza inicial. O que não acontece com a maçã, pois desde sempre a maçã esteve presente em sua alimentação.

            Desculpe minha analogia tosca, mas é a única forma que achei de explicar o que tem na minha cabeça Hahahahaha
            Então eu meio que acredito que com mulher pode existir esse gap devido ao fato de eu não saber como é, então nem sei se posso afirmar 100% que tenho mais tesão por homem e não por mulher se eu nunca fui até o fim com mulher. Só tenho informações suficientes de um lado da moeda. Entretanto, digamos q eu já dei uns amassos com umas garotas, e digamos que brochar naquele momento não aconteceria nem se eu quisesse, a parada foi bem tensa, não fiqeui muito tímido como pensei que ficaria nessas situações, fiquei com a respiração pesada, parecia que eu tava queimando de febre, já estava nu… e não rolou por pouco (pq ela deu pra traz na hora) rsrsrs

            Outra coisa também que me ocorre com certa frequência, as vezes mais ou menos, dependendo da época, é eu ter polução noturna quando sonho com mulheres. Novamente, é mais recorrente com homens, pois meu corpo e inconsciente está acostumado com as sensações nessas condições, entretanto quando acontece quando sonho com mulheres é igualmente prazeroso e fico com “gosto de quero mais” na boca.

            Enfim. Quanto mais escrevo mais chego a conclusão de que mal me conheço, mas que também essas minhas paranoias são infundadas.
            Mais uma vez vejo como está sendo bom fazer uso do blog para conversar sobre essas coisas. Ao menos para mim está sendo um purificador mental.

        4. Fala Allan

          Bem, quanto essa questão de condicionamento, é estranho porquê, em teoria, nós homens somos condicionados a ter algo com mulheres, ou seja, muitos gays se sentiram meio que “obrigados” a ficar com meninas quando pequenos, mesmo já tendo quase certeza do que realmente gostavam. Você pode ter passado pelo mesmo. Não tô querendo dizer que você é gay, pela amor kkkkk mas, nada é certeza como eu já disse uma vez.

          Quanto a se excitar com mulheres, é, isso é um forte indício que você tem uma “hétero-curiosidade”, tipo eu: tenho vontade de ficar e quem sabe ir pra cama com uma travesti ou um afeminado, eu seja, digamos que eu tenho certa “pansexual-curiosidade” kkkk, ou seja, realmente, após a experiência com uma mulher, você saber realmente que é bissexual de fato.

          Eu escrevi um texto pra você, mas, parece que a Amanda ainda não publicou mas ela vai publicar kkkkkkk

          Abraços

          1. Hahahaha Tudo de boa.

            Cara, eu já tô até afastando esse fantasma de broxar da mente, eu to meio que interessado numa mina aí… to vendo o que pode rolar disso.

            Quanto ao condicionamento eu acho q foi mais pelo fato de eu crescer sabendo que eu tinha que gostar de meninas, minha família era muito machista quando eu era mais novo – como sempre gostei; mas como eu também tive experiencias com os garotos antes de formar minha personalidade de fato – que se não me engano é entre os 6 e os 10 aos de idade (preciso pesquisar) – eu meio que cresci achando normal. Tanto que eu só fui passar por um momento de achar errado depois dos meus 12 anos, depois de um episódio específico, que conto outra hora. Acho que foi quando comecei a amadurecer e tal.

            Então, eu fiquei meio que desde os 12 até os 18 sem ter nada com outros caras devido a isso. Não funcionou muito bem, depois dos 18 voltei a me relacionar, mas voltei sentindo culpa e nojo de mim depois que acontecia e tal. Agora já estou mais tranquilo, mas ainda me pego arrependido depois de ter feito. Só q já encaro com muito mais normalidade, como de fato é.

            Eu não estou viajando, mas estou em semana de provas, tá complicado entrar aqui. Qualquer coisa deixe as perguntas aí nos comments que eu respondo quando der.

            #Amanda, também aguardando ansioso vc escrever o que eu te enviei. E já tenho outro em mente para te enviar, só falta tempo pra escrever! Não precisa se apressar, aproveita a viagem e depois posta as coisas!

          2. Alan, obrigada pela compreensão. Realmente ainda não consegui parar para escrever. E estou lendo os comentários bem rapidamente também. Mas logo volto e faço as postagens!

        5. Allan, estava acompanhando sua estória com o Batman… Fiquei curiosa… Se tiver tempo gostaria de saber como as coisas se desenrolaram! Abs

  13. Eu acho que contei pra ela mas pra saber se ela me aceitaria. Eu tinha em mente que ela tinha que saber. Foi meio duro pra mim contar pra ela, ficava achando que ela ia me deixar, por medo de achar que eu a trocaria por uma travesti mas, não foi assim, ela entendeu de boa. Terminamos depois de um tempo e como todos dizem, não foi por conta da bissexualidade. Abraços

  14. Cara, esse blog está me ajudando muito na situação que eu me encontro hoje em dia. Veja bem, eu sou mulher, cis e me considero heterossexual, muito embora sempre tenha tido bem claro dentro de mim que se eu me apaixonasse por uma mulher a ponto de me sentir sexualmente atraída, eu iria sem crises. Enfim; eu não tenho muitas dúvidas sobre mim. Só que estou vivendo uma situação muito delicada e que me deixa muito confusa. Vou tentar explicar e quero que me deem suas opiniões porque aposto que me entenderão melhor que aqueles que gostam de rotular tudo.
    Eu comecei a ficar com um cara há 4 anos. 4 anos! Nos tornamos melhores amigos, a química era impressionante, e eu sentia o corpo dele reagir ao meu, mas a gente nunca fez sexo com medo de “estragar a amizade”.
    Eu me apaixonei perdidamente por ele, mas também tinha medo de dizer isso. Até que as circunstâncias nos afastaram e a gente ficou um tempo (1 ano) sem se ver, sem ficar. Só falando por mensagem, como amigos.
    Ano passado, no final do ano, voltamos a nos encontrar e a ficar. A coisa foi ficando mais séria, trocar mensagem todo dia, os amassos mais fortes; eu confessei então os meus sentimentos. Ele terminou comigo de repente, então.
    Fiquei sem entender mas tive impressão de que tinha feito de propósito para me machucar, por alguma razão. Nossa relação de amizade era muito íntima e além de tudo, foi muito difícil o afastamento. Afinal, aquilo que tínhamos medo realmente aconteceu, tínhamos estragado nossa amizade.
    Não demorou muito para que ele me procurasse tentando retomar nosso contato. Demorou menos ainda para que a gente ficasse outra vez. Então, um dia ele me chamou e disse que precisava me falar sobre ele.
    Ele falou: “eu te amo, eu queria namorar com você, eu queria passar o resto da minha vida com você. Eu terminei com você por medo, mas não consegui ficar longe, e agora não posso mais te esconder isso. eu sou gay, eu me sinto sexualmente atraído por caras”.
    Não foi realmente um choque, mas me deixou meio sem chão. Eu tenho a cabeça muito aberta, não quis acusá-lo de nada, e perguntei sobre suas experiências, justamente porque sabia que o corpo dele tinha reagido ao meu em alguns momentos. Ele disse que se sentia mais inclinado a ficar com homens sexualmente, (embora já tivesse transado com mulheres também), mas que comigo era diferente, só que ele tinha medo de me fazer infeliz por se superestimar.
    Perguntei se ele não estava apenas com medo de se assumir, se não queria levar uma “vida normal” e por isso tinha insistido na ideia de ficar comigo, e ele disse “Eu te contei isso porque você disse que me amava. Eu imaginei que você tem que saber tudo sobre mim para me amar. Não estou com medo de me assumir, estou com medo de você não me querer mais agora que sabe que eu já transei com homens.”
    Foi realmente maluco para mim. Depois de muito pensar e respirar fundo, decidir que ia sim, tentar um relacionamento com ele, mesmo sabendo que ele sente interesse por homens. Estamos juntos agora, namorando, há pouco tempo (demorei muito para me decidir – e ele me quis mesmo assim), cerca de dois meses, e ainda não transamos, embora os amassos estejam indo bem.
    As pessoas a quem contei essa história (gays e heteros) me acham maluca por ter aceitado me relacionar com ele nesses termos, mas eu sinto e sei que ele me ama e que ele tem vontade de estar comigo, e que não é apenas como amigo. Eu o amo muito, eu não conseguiria simplesmente desistir por causa dessa barreira, que nem sabemos se é mesmo uma barreira!
    O que me aflige é que eu sei que todas as experiências dele, tanto com homens quanto com mulheres, foram muito distantes, com pessoas com quem ele não se importava. Ele mesmo me disse que não conhecia o ato de “fazer amor”. Eu tenho medo de que a nossa conexão emocional o deixe inseguro, que o sexo não funcione de primeira por isso, e que isso o impulsione a desistir…
    Meninxs, vocês que são bis, que passaram por confusão e insegurança, o que vocês acham? Como eu posso lidar com essa situação de uma forma que o deixe seguro? E mais, vocês acham que eu sou louca em tentar?
    Obrigada, o blog está esclarecendo muitas das minhas duvidas! Beijos

    1. Olá, “V”

      Eu acho que eu tenho a mente muito aberta pra opinar, mas vou falar msm assim.

      Eu acredito que não tenha nada fora do comum vc se relacionar com ele. Eu sou bi, entendo que pode haver interesse pelos dois sexos. Ainda estou numa fase de aceitação, então também tenho umas neuras com relação a relacionamento com mulheres.

      Acredito que se ele está passando por algum momento de confusão vc deveria mostrar pra ele, conversar o máximo possível e deixar claro que vc não se importa com o fato de ele ser bi (ou se importa?). Acredito que nesse momento a insegurança dele é a de te fazer sofrer por talvez não te corresponder em algo, ou de não ser homem o suficiente para vc, ele pode estar se subestimando… sei lá, só tô chutando essas coisas.

      Acredito que o sexo depende muito da parte psicológica da pessoa, através de conversas acredito que vcs vão se entender melhor, essa tensão deve, ao menos, diminuir, o que vai permitir que o relacionamento flua de boa, até pq, pelo que vc disse, vcs já tem uma química muito boa. E também, pessoalmente eu acho que foi uma prova de amor ele te contar sobre a bissexualidade. Eu não me vejo hj contando isso a ninguém pq sei oq pode vir acontecer se eu me expor assim. Para eu falar isso para alguém, no mínimo eu vou ter que confiar MUITO nessa pessoa, seja um amigo ou alguém que eu esteja me relacionando.

      Tente não dar muita atenção ao que as pessoas dizem sobre isso. Como homem posso dizer, muitos gays (chutaria que a maioria) julga os bissexuais como gays “enrustidos” e os apontam com preconceito. Os héteros, idem, se não seguir o padrão “normal” de homem já é gay. Se não gosta de futebol, gay; se é mais vaidoso, gay.

      Um dos motivos de eu não me “revelar” é justamente esse de que as pessoas não entendem que eu posso me interessar por homens e mulheres.

      Enfim, desejo sorte a vcs, espero msm que de tudo certo. Não se esqueça que vcs estão em um relacionamento normal, confiança e diálogo são a base para tudo.
      Por favor, não esqueça de nos contar depois que tudo der certo.

  15. Boa tarde a todos.
    Sou novo no blog, ainda bem que achei o blog pois minha cabeça está em parafuso.
    Me identifiquei muito com esse relato pois comigo acontece a mesma coisa.
    Porém tbm não sou do tipo machão, falando de mulheres como objetos e tal.
    Sou casado e amo minha mulher.
    Porém gosto de trans. (Isso há mais ou menos uns 10 anos) estou com minha mulher há 2 e eu nunca trai ela, apesar de sempre gostar de trans.
    Não tenho coragem de trair e sempre pensei que esse sentimento sobre trans, se eu deixasse de lado com o tempo sumiria.
    Porém quanto mais eu deixo mais com vontade eu fico.
    Foi assim que cheguei nesse blog e só lendo as coisas aqui cheguei a conclusão que tenho que falar com ela.
    Mais não tá fácil..,. rsrsrs não consigo olhar direito para ela, são muitos medos e incertezas, porém uma certeza que eu tenho é que não posso mais viver com isso, está me sufocando.
    Se alguém quiser conversar vai em ajudar muito rsrsrs
    espero futuramente mandar um post aqui contando que falei e tal. mas no momento minha cabeça um parafuso.

    Obrigado a todos!

    1. Olá MD li o seu comentário e também ainda to em parafuso, queria saber como vc leva isso “numa boa” ou pelo menos vai levando tenho medo desse passado atrapalhar num relacionamento futuro. Qualquer coisa manda um e-mail .([email protected]).

  16. Olá a todos, me identifiquei com alguns relatos,devido a algo que me aconteceu recentemente mas acredito que não seja bissexual. Fiquei na duvida por um certo tempo, me vi pensando se achava homens bonitos ou se tinha interesse neles,entrei em diversos grupos de discussões, assim como o MD acima entrei em “parafuso”.
    A minha estória é a seguinte : Tenho 31 anos, sempre me relacionei exclusivamente com mulheres (cis), estava num relacionamento com uma há cerca de 04 anos mas acabamos no início de 2014 por diversos motivos, me apaixonei por outra mulher mas ai fiquei naquela de “chove e não molha” e acabei perdendo pra outro, fiquei arrasado, no segundo semestre estava indo demais em puteiros e resolvi parar mas a “necessidade” tava me matando e ai depois de 3 semanas passando por um mesmo ponto, onde sempre via uma “mulher” muito bonita mas também era um ponto de travestis….bom é óbvio que acabei tendo meu primeiro relacionamento com uma travesti ali, depois de 2 meses perdi meu emprego, passei no mesmo ponto e comprei um sexo oral com uma outra travesti (mas nesse caso já sabendo que era) e por fim ao final de ano passei numa outra rua, vi uma “mulher” fazendo ponto, peguei, descobri que era travesti mas mesmo assim fiz o programa, ao fim ela me extorquiu por ter achado que ela era mulher e por ter passado por ela mais de uma vez (não tinha certeza se arriscava ou não mas acabei indo numa terceira passada de carro), pra evitar confusão paguei e pronto. Em diversas discussões alguns me consideraram gays, outros bissexuais, devido a questão da relação sexual homossexual (devido ao fato da travesti ser genética/biologicamente um homem) mas não sinto atração pelo homem com estilo masculino e na verdade nem por me aventurar com travestis mas foi algo que fiz e repeti, o engraçado é que peguei no pênis apenas da primeira e da segunda (enquanto ela me fazia oral) , já com a terceira tratei unicamente como mulher mas para todas assumi o papel exclusivamente de ativo. Isso me consome não quero ser um homem no futuro, casado e que trai a esposa (seja com homens, mulheres ou travestis) e também tenho medo de que acabe soltando isto para essa minha “futura desejada esposa” e ela fique com repulsa, duvidas e isto estrague o meu relacionamento (porque nessa de acompanhar relatos vi muitos de mulheres que se incomodaram com o fato e ficaram com nóias absurdas).

  17. olha, passei pela mesma situação…
    com algumas pequenas diferenças, meu relacionamento tem 6 anos
    hoje garanto que estou 100% satisfeito só em saber que minha noiva sabe que eu sou bi.
    Minha família é muito cri cri e nunca aceitaria de boa, amigos eu não sei… mas só em saber que posso contar com ela … fico sem palavras para explicar o quanto é melhor não estar sozinho.

  18. Tenho 40 anos, casado, pai, mas tenho meus segredos. Saio com travestis à muito tempo, suas formas femininas são o que me atraem, mas entre quatro paredes é o pênis que me exita, gosto muito de ser penetrado. Uma só vez eu saí com um homem, um amigo meu, depois de uma bebedeira, nós fomos prá casá dele e acabou rolando, mas não gostei muito, a gente até que se divertiu, mas não é minha praia, gosto mesmo é das bunecas

  19. Gustavo, me identifico muito com o que escreveu.

    Também sou casado, tenho 47a e sempre tive meus segredos, principalmente com travestis.
    As vezes a vontade some, mas tem hora que vem muito forte. Também prefiro ser o passivo da relação, apesar de já ter experimentado ser ativo. O corpo feminino com um pênis mexe demais comigo.
    já tentei parar e não consegui e nem sei se conseguirei.

    1. Primeiro, você aceita bem tal situação? Se sim, você deve agir naturalmente, pois ele está com você e é você que ele quer, ah não ser que ele tenha te traído, daí cabe a você aceitar ou não isso.
      Ah você descobriu por conta ou ele te contou?
      Se foi sem ele contar, e você o aceita, é dar indiretas/diretas de que você aceitaria para deixar ele tranquilo e com isso ele se abrir pra você.
      Agora se ele te contou, e você aceita, passe segurança a ele de que isso não é problema, agora se você está confusa se aceita ou não, tenha uma conversa franca com ele pra ele te passar segurança. E sim, não é porque ele é bi, que ele vai te trais(héteros também traem), sou Bi e nunca trai.

  20. Sou bem casado e amo minha esposa mais infelismente tenho desejo por homem não qualquer homem mais tenho porem os meu desejos são ´por hetero e não versátil e eu mim considero hetero ,pode até dizerem que não amo minha esposa mais amo sim sinto um amor que vem de dentro de mim e nós temos uma vida normal e tranquila sinto que ela mim ama mais tenho medo de um dia ela descobri a verdade ai iamos sofrer muito .Qual seria a sujestão para essa minha complicada situação .

  21. Eu me identifiquei com a personagem. Sou homem casado, pai de família, policial militar… mas gosto de dar amassos em outro cara. Quando termina, entro em parafuso mas meses depois estou em uma sauna a procura de aventuras com macho. Obs. Sou militar da reserva, com 54 anos.

    1. Não é rara a Bissexualidade ou sexualidade fluida com homens, que o digam os “Anos Dourados” assim chamada a Década de 60! Percebo que quando o homem é casado e até pai, muitos deles, parece que “sentem” todos os olhares estarem com eles! Uma ocasião, um vendedor de roupa masculina, comentou a diferença do olhar feminino para o nosso olhar: que a mulher nunca irá imaginar que o namorado ou marido sinta atração por homem barrigudo ou com escoliose, mas me disse essa tua bunda discreta mexe com o imaginário masculino. Maroto disse que não estava me cantando! Já vinha rolando aproximação minha com meu Coordenador, década de 90, ele casado com mulher de linda silhueta e, eu na época de nossa paquera, solteiro! Depois fui para a Faculdade e, comecei a namorar colega de lá
      e, costumo dizer homens percebem que se complementam e, talvez meu anus “em atividade” meu Coordenador, finalmente “percebeu” e sugeriu, deixarmos de lado a relação profissional e termos, nossa “intimidade” e, foi humilde em reconhecer, como a gente soube proporcionar prazer mutuamente! Pela experiência dele, de homem quarentão, nos permitimos ao replay, até porque casamento dele, já estava de fachada, vieram a se Divorciar depois, aposentados, sem terem que conviver em mesmo local de trabalho como colegas, ainda que de setores diferentes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *