18 de abril de 2024

18 thoughts on “Por que precisamos ter uma conversa sobre orgasmo

  1. Bem, pessoal, tabus são mesmo uma chatice, hein? Acho que masturbação é uma ótima maneira de aprender sobre seu corpo, como ele reage aos estimulos, onde e como se sente prazer. Isso só ajuda na hora do sexo a dois. Mas é impressionante a quantidade de mulheres (e homens tb, pq não?) que nao conseguem lidar bem com isso e/ ou tem dificuldades na hora do sexo. Como eu disse, tabu, medo, insegurança…tudo uma m….Acho que se existem travas ou dificuldades, a pessoa deve recorrer a ajuda. Mas de qualquer maneira, e lendo sobre o assunto por aí, me deparei com a seguinte pergunta, que lanço como desafio: é necessario ter orgasmo para se desfrutar do sexo?
    Acho que a resposta é bem pessoal, claro. Mas para aqueles que acham que orgasmo é necessario e andam tendo problemas nesta área, recomendo buscar auxílio. O importante é ser feliz.
    Uma lista de problemas que vi por ai: desde medos e ignorancia sobre sexo, dificuldades em relaxar ou se estimular, depressões, experiencias traumaticas, etc.

    Bom, essa é minha contribuição aqui. No meu caso, orgasmo é bom e eu gosto! Mas claro que acompanhado de tudo que o antecede: o namoro, o toque, as brincadeiras, as preliminares, o desejo…ihh, vamos parar por aqui.

    Abraços apertados em todos.

    1. Nanda, tudo bem? Adorei a pergunta que você lança sobre a necessidade do orgasmo para desfrutar do sexo. Verdade, não é necessário chegar SEMPRE ao orgasmo se a qualidade da relação (como preliminares) tiver sido satisfatória.

      Nem sempre chegaremos ao orgasmo, mas isso não quer dizer que a relação não tenha sido boa, sem dúvida. No entanto, NUNCA chegar a ele vejo como um grande problema.

      Também não podemos ter vergonha ou medo de ir mais além. É raro, mas muitas mulheres têm ejaculação feminina e morrem de vergonha disso. Não podem, não deveriam.

      Infelizmente, muitos homens colaboram para ampliar esse desconforto. Esses dias vi um vídeo em que um homem dizia achar “ruim” a ejaculação feminina (fazendo cara de nojo). A mulher dele estava ao lado do vídeo e disse: “Ah, mas eu queria conseguir”. A resposta: “Para mim está tranquilo assim…”.

      O pior de tudo? Esse casal tem um canal que dá dicas sobre sexo e publicaram um livro sobre o assunto. É triste, muito triste.

  2. Então, Amanda, é por aí mesmo, não é necessário ter orgasmo, mesmo porque nem sempre temos controle sobre nossos corpos e tem dia que a coisa não funciona. Se as preliminares, os carinhos, foram prazerosos então não tem com que se preocupar. Entretanto, como vc disse, se o orgasmo nunca aconteceu ou faz tempo que não aparece, entao é hora de se questionar e/ou buscar auxílio. Ruim é que o sistema público de saúde é péssimo nestas horas (aliás, na maioria das horas, né?).
    De qualquer maneira, Amanda, os links que vc disponibilizou são bem legais. E muitas das vêzes é só medo mesmo, tabu, ou desconhecimento. A cabeça sempre é nosso maior inimigo. Tudo é questão de se permitir.
    Eu bem sei que a cabeça é inimigo, eu tenho minhas travas (mas não relacionadas ao prazer, ao sexo), tipo timidez na conquista (paradoxal, hein?), etc, coisa que ando tentando resolver. Ou seja, resolvi resolver. Como eu disse antes, mas de forma menos bonita , “se joga, garota”! Se permita.
    Quanto ao casal, se eu ver livro ou programa deles … corro pra longe, haha. Atitude machista a dele, hein Amanda? Corro sim, mesmo pq tem gente boa por aí falando no assunto. É só procurarmos.
    Ejaculação feminina … acho que deve ser mais normal do que achamos. E nada pra se ter vergonha, Amanda, concordo com você.

    Bjs!

  3. Gostei muito do post, e acho extremamente válido tocar no tema orgasmo feminino, devido à repressão da sexualidade da mulher na nossa “querida” sociedade machista e cristã. Imagina, ver a masturbação como uma “safadeza”… o quanto o contato dessa mulher com o próprio corpo, com o próprio prazer, com a relação sexual, com ela mesma enquanto pessoa, mulher, enquanto um ser total e completo está prejudicado. Precisamos falar sim, falar para ir mudando essa realidade. Eu mesma já sofri muito com pensamentos desse tipo, dos quais tenho gradualmente me livrado para poder ser eu mesma de forma mais saudável e plena.
    Porém, não concordo com a colocação da psicóloga citada no post. Ela faz parte de uma abordagem corporal da psicologia e não representa o que pensa toda essa ciência. Acho que dizer que não ter orgasmo pode desencadear mecanismos neuróticos pode fazer sentido dentro daquela teoria, mas dizer isso para o grande público pode gerar interpretações erradas e até preconceituosas (como o popular “mulher estressada e nervosa é ‘mal comida'”). Nem sempre vai acontecer dessa forma. Pode acontecer, aliás, exatamente o contrário: mecanismos neuróticos impedirem a pessoa de chegar ao clímax.
    Na minha opinião, reduzir o orgasmo ao corpo, ao sexo ou à simples prevenção de problemas psicológicos é limitar demais… o orgasmo faz parte do todo que é a pessoa, e envolve muitos aspectos de nós.
    Concordo plenamente com a última frase, que fala mais ou menos nesse sentido: o orgasmo como uma expressão da identidade, do ser, da pessoa.
    Bjs Amanda, bjs a todos.

  4. Oi, Amanda!

    Sem querer fazer a advogada do diabo, mas já fazendo…rs

    A masturbação, acho uma maravilha, aliás, resolve muito quando se está solteira 🙂
    Mas tem hora que parece que a gente vicia nisso. É bem mais fácil chegar ao orgasmo masturbando-se que no sexo a duas.

    E acho muito importante orgasmo. Não que seja obrigatório em toda relação, mas é ótimo quando acontece. Mesmo porque mostra boa vontade e preocupação por parte da parceira em te satisfazer.
    Também acho que o orgasmo pode estar relacionado com certa maturidade sexual da mulher.
    Com o tempo a mulher vai descobrindo diversas formas de sentir prazer. Se se permitir, claro!

    Abraço!

    1. Se masturbação é vicio, eu quero é mais, porque não abro mão desta prática, mesmo estando em um relacionamento que me completa em todos os sentidos. Vejo a masturbação como uma atividade prazerosa e estimulante para o sexo e uma coisa não invalida a outra.

  5. Muito válido o post, Amanda. Inicialmente é muito triste que grande parte das mulheres não tenham acesso a um sistema de saúde pública razoável, que lhes possibilite no minimo saúde e respostas a alguns questionamentos. Sexo também é saúde e se a gente não têm saúde não consegue desfrutar dele inteiramente. Infelizmente o país tem que evoluir e investir na saúde pública que em certos lugares está mesmo sucateada. Quanto ao orgasmo, realmente, é uma feliz colocação quando o cientista diz que “O sonho de uma melhor existência social permanece sendo apenas um sonho, exatamente porque acima de tudo, no plano individual, continua comprometida a capacidade de satisfação genital”. Orgasmo faz bem pra autoestima, pra saúde, pro nosso próprio ser. Não devemos encarar a masturbação como algo pecaminoso e sim como uma ferramenta para descobrir nosso próprio prazer. Quebrar milênios de cultura machista e religiosa é a grande questão. Isso só é possível através do diálogo e da discussão dessas idéias. Feliz por poder participar. Beijo grande

  6. Olá, galera boa tarde.
    É o seguinte eu sou lésbica e minha namorada também, nunca tivemos relação com homens, e eu tenho um fetiche em usar nela uma cinta peniana mas ao mesmo tempo acho meio constrangedor, temos 1 ano de relaciomento e não sei se deveria usar ou não.
    Me ajudem

    1. Amanda, tudo bem? Vocês já conversaram sobre o assunto? Veja o que ela acha. E por que você sente que seria constrangedor? O mais interessante é pode testar várias maneiras de agradar a sua parceira. Não se limite não.
      Grande abraço!

  7. Bom, para apimentar mais o assunto, aqui vai um site que achei e que traz 100 posições para sexo lésbico. com desenhos bem bacanas, delicados e didáticos sem serem vulgar. Está mais completo que o manual lançado pela revista Cosmopolitan. Mas infelizmente está em inglês. Nada que um google translator não resolva, porque abaixo vem descrição e instruções. Tudo para inspirar.

    http://www.sofeminine.co.uk/relationships/album961435/lesbian-kama-sutra-100-sex-positions-for-women-0.html

    Espero que esse kamasutra agrade, e/ou faça soltar a imaginação.

  8. Ola, eu por muito tempo tambem não me masturbava, não por algum tipo de pudor, mas porque simplesmente não conseguia os resultados que queria… era mais facil pra mim gozar com um homem.
    Até que um dia, por influência de uma grande amiga, comprei um vibrador e que surpresa maravilhosa! Eu não acreditava quando ouvia os relatos mas realmente esses massageadores são uma grata surpresa.
    Hoje além dos orgasmos incliveis que tenho utilizando o vibrador também melhorei muito no sexo com meu marido.
    Toda mulher deveria ter um brinquedinho desses. Hoje em dia existem varios modelos, alguns bem discretos mas muito eficientes.

  9. Nunca precisei me masturbar pra descobrir onde eu sentiria prazer, ou o que eu gostaria que fizessem em mim na hora do sexo, até já tentei me masturbar, mas achei bizarro, e pensei: nossa não tem um pingo de graça eu mesma fazer isso, que coisa mais tosca, o bom é deixar minha companheira tentar descobrir do que eu gosto. Depois disso nunca mais tentei, fui descobrindo junto com minha companheira do que ambas gostam. Então minha resposta é que masturbação é uma bobagem no meu ponto de vista, pois eu nunca tive problemas sexuais, e toda vez que vou fazer “AMOR” chegamos ao orgasmo no mínimo uma duas vezes e no máximo 4. E tudo isso sem precisar usar “brinquedos”, apenas amor, preliminares, carinho e respeito mútuo

    1. Aline, é importante esse processo até para mostrar para sua companheira o que você gosta. Quantas vezes você já tentou fazer isso? Existe algum outro fator para você considerar que é “bizarro”?

  10. Eu nunca gozei com uma mulher fazendo em mim, não me sinto a vontade sou mais ativa, sinto muito prazer em fazer eu amooooooooo proporcionar prazer. Eu e minha namorada fazemos várias vezes , só nela, todas as vezes ela goza, não usamos nada pra ajudar, desde do início foi assim ela sempre gozou,sempre fui ativa, me masturbo com frequência, sinto prazer, mas nas ocasiões que eu deixo ela me tocar “que são poucas” não sei o que acontece ou melhor não acontece , por isso que prefiro nao deixar,é horrível a sensação milhões de coisas passa pela minha cabeça é constrangedor, as vezes eu acho que o problema é o fato deu me tocar, em dez minutos em consigo e até menos, enquanto com ela nada. Eu amo ela demais queria que ela sentisse o que eu sinto quando vejo ela se contorcendo toda de prazer felicidade, é tão maravilhoso quanto um eu te amo de quem a gente ama, enfim fazer alguém feliz é sensação mais incrível que existe!!!!

    1. Acho que posso me meter um pouquinho na sua vida e dar um palpite que creio possa te ajudar.
      Sou uma fã incondicional de masturbação e mesmo estando casada, pratico com bastante frequencia, mas meu ritmo para fazer nunca é igual, se alguem fizer em mim e isso pode interferir no teu prazer quando tua parceira faz em voce.
      Converse mais com ela e diga-lhe como voce gostaria de ser tocada e em que ritmo, Acredite, pois uma boa conversa faz milagres.

  11. Falar de orgasmo é antes de tudo falar em se conhecer, seja no modo de agir e pensar, seja no desempenho sexual e não vejo melhor maneira de se conhecer, adotando algumas práticas na vida.
    Masturbar-se, é tão importante nesse processo, que deveria ser estimulado e ensinado pelas maes ou mulheres mais velhas da familia, para todas as garotas a partir do despertar sexual.
    Deixar de acreditar em todas as reprimendas sexuais que voce ouviu na vida,
    Ter pensamentos eróticos e pensar na parceira antes de ir para a cama, ajuda muito a já chegar com vontade de sexo.
    Disponibilizar algumas horas por semana para um filme ou literatura erótica contribui para despertar a libido e com certeza para enriquecer as variantes na cama.
    Ter conversas ousadas e picantes com a parceira e usar o dom de se comunicar para expor suas partes “fracas” faz com que o sexo alem de mais prazeiroso seja tambem uma ótima fonte de cumplicidade, aumentando o desejo de estar juntas e consequentemente facilitando o orgasmo.
    Não se limitar a um papel “X” ou “Y”, deixando a coisa fluir da maneira mais natural e possivel. Sexo não precisa de roteiro e sim de entrega e paixão.
    Ter uma vida sexual saudavel e satisfatória requer dedicação, aprendizado, entrega, esforço, suor, mas alem de tudo muito amor e imaginação. Sexo bom, começa com um bom dia bem gostoso para a parceira, com um telefonema ao dia e com muita vontade a noite.

  12. Sou do sexo masculino e bissexual, planejo ter filhos (uma garota e um garoto) e, com base no que aprendo e vivencio no dia a dia, vou criar ambos do mesmo jeito, sem reprimir a vontade sexual de um ou de outro, na verdade, vou incentivar ambos a terem namoradas/os e a conhecerem o próprio corpo, e se algum dia alguém se referir a minha filha como vagabunda ou puta por causa disso, eu não deixarei esse alguém viver muito, ou se chamarem o meu filho de gay por ele abominar a ideia de ir em um puteiro (que eu também abomino pois para ter sexo precisa do amor, e não há amor no puteiro) ou por não ser pervertido, eu, além de usar a frase “E se fosse? Qual seria o problema?” também garantiria que este preconceituoso não mais vivesse.

    Beijos.

    P.S. (ou Post Scriptum): Na verdade eu acho que nunca chegaria a violência, mesmo se eu visse Hitler na minha frente eu não o atacaria, e ainda mais, caso ele se arrepende-se dos feitos dele, eu o perdoaria. Eu até sofro quando acidentalmente mato algum inseto, então imagina uma pessoa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *